Twitter põe alerta em post de Eduardo Bolsonaro sobre lockdown

O Twitter colocou um alerta de “publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à covid-19” em uma postagem feita pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Na mensagem, compartilhada na tarde de ontem, o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que o “lockdown é o oposto de distanciamento social”. “No lockdown, as pessoas são condenadas a ficarem confinadas em casa, aumentando a proliferação do vírus”, defendeu o político.

Apesar de alertar aos usuários sobre uma violação das regras do Twitter, a rede social optou por manter o post, alegando que ele “pode ser do interesse público”.

UOL

Pesquisa mostra disputa embolada para o Governo do Rio Grande do Norte entre Fátima, Álvaro Dias e Styvenson; confira os números

Pesquisa realizada pelo Instituto IP Sensus realizada  entre os dias 04 e 12 de Abril de 2021, mostra uma disputa embolada para o Governo do Rio Grande do Norte entre a atual governadora Fátima Bezerra (PT), o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) e o senador Styvenson Valentim(Podemos). Nos três cenários pesquisados, ambos aparecem tecnicamente empatados.

A Pesquisa IP Sensus ouviu de forma híbrida 1.600 eleitores entre os dias 04 e 12 de Abril de 2021, com metodologia do Instituto Paraná Pesquisas, sendo 800 entrevistados por telefone e 800 entrevistados presencialmente, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), e o Decreto Estadual em vigor quanto às exigências sanitárias. A pesquisa  tem intervalo de confiança de 95%, com erro de 3,50% para mais ou para menos.

Veja os números:

BRASIL: Entre Bolsonaro e o PT, fico com Bolsonaro, diz Eduardo Cunha

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, peça principal a autorizar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), afirmou, em entrevista à Folha de S.Paulo, que apoiaria o presidente Jair Bolsonaro se estivesse no poder.

“Quem elegeu Bolsonaro porque não queria a volta do PT tem a obrigação de dar a governabilidade a ele. Se estivesse no poder, eu o apoiaria, com eventuais críticas pontuais, mas sempre estaria na posição oposta ao PT”, afirmou.

Para Cunha, as eleições 2022 devem ser novamente marcadas pela polarização.

Ainda segundo ele, a tão falada ‘terceira via’ nunca existiu.

“Nunca existiu terceira via em todas as eleições desde 1989 e não existirá na próxima. Não vejo ninguém para isso. Entre Bolsonaro e o PT, não tenho a menor dúvida de ficar com Bolsonaro. Qualquer opção é melhor que a volta do PT”, declarou Cunha, que segue cumprindo prisão domiciliar desde março do ano passado após ser condenado na operação Lava Jato em 2016.

Tribunal de Contas do RN desmente denúncia de Jair e Carlos Bolsonaro contra a governadora Fátima Bezerra

Nota do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte desmente o presidente Jair Bolsonaro e o filho dele, o vereador Carlos Bolsonaro.

Os dois acusaram a governadora Fátima Bezerra de desviar recursos da covid para pagar salários.

Eis a nota do TCE:

TCE esclarece dados sobre transferências federais e despesas do Estado no combate à Covid-19

Sobre a repercussão das informações divulgadas no Boletim Extraordinário 01/2021, levantamento que traz uma avaliação dos impactos da pandemia do coronavírus nas finanças do Rio Grande do Norte e dados consolidados sobre as transferências federais feitas para o Estado em 2020, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN) esclarece:

1. No dia 31 de março, o Auditor de Controle Externo Evandro Alexandre Raquel, Diretor de Administração Direta, concedeu entrevista ao programa Repórter 98, na rádio 98 FM. Na ocasião, ele informou que o Governo do Estado realizou, dentro da rubrica de recursos ordinários, Fonte 100, pagamentos na ordem de R$ 900 milhões para custear a folha de pessoal dos servidores da Saúde no ano de 2020.

2. Em nenhum momento, o Auditor afirmou que esse valor de R$ 900 milhões foi pago com recursos enviados pela União exclusivamente para auxiliar o Estado diretamente no enfrentamento à Covid-19, uma vez que dentro dos recursos enviados existiam valores de livre alocação, conforme disposição legal, além de que a fonte 100 engloba também arrecadação própria.

3. Conforme mostra o Boletim Extraordinário, o Estado recebeu do Governo Federal R$ 1,1 bilhão em transferências extraordinárias em 2020, destinados às ações de saúde, assistência social e compensação financeira em razão da queda na arrecadação. Do total de recursos, a maior parte (R$ 750,9 milhões) é de livre alocação.

4. Esse valor de R$ 750,9 milhões foi incorporado à Fonte 100, que congrega os recursos ordinários do Estado, incluindo a arrecadação própria, e foi transferido por força da Lei Complementar 173/2020, que estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, bem assim, pela Medida Provisória nº. 938/2020, que dispôs sobre o apoio financeiro para compensar a queda no repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

Bolsonaro critica lockdown e diz que servidores podem ficar sem salário

O presidente Jair Bolsonaro visitou, neste sábado (10/4), de moto, a comunidade Morro da Cruz, em São Sebastião.

Ao entrar, sem uso de máscara, na casa de uma família venezuelana, ele voltou a criticar a política de lockdown e ressaltou que caso as restrições continuem, poderá faltar dinheiro para o pagamento de servidores civis e militares no futuro.

O mandatário ressaltou que a política do” fique em casa” está errada.

“A educação no Brasil não é boa. Agora, essa molecada que está ultrapassando um ano sem estudar vai ficar com educação pior do que seus pais. Então, o futuro do Brasil com essa política do ‘fique em casa’, não tem aula, fecha tudo… Quem pode ficar, servidor, ainda fica. Daqui a pouco, servidores público civis e militares, não vai ter arrecadação para pagar vocês. E aí vai começar a atrasar e não pagar salário também. Então, isso atinge a todos nós”, apontou.

Bolsonaro também teceu ataques ao governador de São Paulo, João Doria, chamando-o de “patife”.

“O que eles querem, como esse patife aí de São Paulo quer, é quebrar o Estado, quebrar o Brasil, para depois apontar os responsáveis. É coisa de patife, que é o caso desse cara aí de São Paulo que usou meu nome para se eleger”, concluiu.

Com informações do Correio Braziliense – Grande Ponto

Nunes Marques sinaliza a Barroso que votará contra CPI da Covid

Nas conversas que teve com os outros 10 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) antes de publicar sua decisão mandando o Senado instalar a CPI da Covid, Luís Roberto Barroso recebeu sinais de nove deles de que acompanharão a decisão do ministro.

Segundo a coluna de Guilherme Amado, o único que sinalizou ser contra foi o ministro Kassio Nunes Marques, indicado para o posto pelo presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro chama Doria de “patife” e diz que governador quer quebrar o país

O presidente Jair Bolsonaro chamou o governador de São Paulo, João Doria, de “patife” na manhã deste sábado (10). Disse que o tucano quer quebrar o Estado e o país e depois culpar o governo federal.

“Farei tudo para manter a nossa liberdade, a guerra de informações estamos travando. Vocês estão se conscientizando de como é difícil viver num país onde o governador como o de São Paulo por um decreto qualquer fecha tudo”, disse Bolsonaro. O governo paulista anunciou na sexta-feira (9) que sairá da fase emergencial na segunda-feira (12). Passará à fase vermelha, menos restritiva, mas ainda com veto a refeições em restaurantes, por exemplo.

“Então parece que esses caras querem, como esse patife de São Paulo quer, é quebrar o Estado, quebrar o Brasil para depois apontar um responsável. É coisa de patife. Que é esse cara que está em em São Paulo que usou meu nome para se eleger.”

O presidente driblou a imprensa para passear de moto no entorno de Brasília. Saiu em carro não identificado do Palácio da Alvorada Visitou uma casa em São Sebastião, área do Distrito Federal, onde mora um grupo de venezuelanas. O encontro foi transmitido em seu Facebook.

“O pessoal que planta tomate não tá plantando mais porque fechou tudo. Restaurante, bares, fechou tudo. Então não estão plantando. Quando voltar a abrir, governador, você que aumentou o ICMS de tudo aí em São Paulo, como não vai ter tomate o preço vai lá pra cima. Aí você vai culpar a inflação pra mim, para cima de mim”, afirmou o presidente.

Poder 360

Ministério da Saúde repassa R$ 14,34 milhões a centros covid do RN


O Ministério da Saúde está repassando R$ 14,34 milhões a centros de atendimento para enfrentamento da covid-19 no Rio Grande do Norte entre abril e junho deste ano. A informação está na Portaria GM/MS Nº 650, de 8 de abril de 2021, publicada no Diário Oficial da União. No total, serão 77 municípios contemplados no Estado, e os repasses serão de R$ 180 mil ou R$ 240 mil, em 3 competências. 

Em todo o país, o Ministério da Saúde está apoiando 2.302 centros comunitários de referência e centros de atendimento para o enfrentamento à covid-19. Essas estruturas foram criadas para reforçar o atendimento à população na triagem e encaminhamento de pessoas com suspeita de infecção pelo novo coronavírus.

Os valores foram direcionado a 1.906 cidades. O total de volumes em repasse soma R$ 452,9 milhões. Segundo o Ministério da Saúde, até o momento, foram disponibilizados R$ 1,6 bilhão em apoio a esses centros.

Confira a lista de municípios potiguares beneficiados AQUI.

Agência Brasil

VÍDEO: Os 100 dias da Gestão Maciel em Eloi de Souza; confira abaixo

São Paulo do Potengi: Vereador Juninho vem propondo um mandato participativo

Em São Paulo do Potengi, o vereador Juninho neto de Seu Elino (MDB) vem chamando atenção da população pela proposta de um mandato participativo, visitando bairros, apresentando requerimentos e pedindo sugestões da população para as demandas que devem ser defendidas na Câmara.

Em primeiro mandato, conseguiu ser eleito o presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), principal comissão da Casa Legislativa. O parlamentar também foi escolhido como representante da Câmara Municipal no comitê de enfrentamento à Covid-19, acompanhando os desafios dos segmentos impactados pela pandemia.

O acompanhamento do mandato do vereador Juninho neto de Seu Elino, bem como a sugestão de pautas a serem defendidas pelo parlamentar, podem ser feitos pelas suas redes sociais.

Instagram: instagram.com/juninho.spp/
Facebook: facebook.com/elias.junior.52012
Grupo do Telegram: https://t.me/vereadorjuninho

CPI da Covid também investigará estados e municípios, diz senador Alvaro Dias

A CPI da Covid, que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Carlos Barroso ordenou que o Senado instale, não deve se limitar apenas ao Governo Federal ao examinar possíveis desvios de recursos destinados ao combate da pandemia, na avaliação do senador Alvaro Dias (Podemos-PR).

“Quando se fala que estados e municípios não serão investigados, mostra-se não conhecer CPI. Os fatos são conexos. Os recursos saíram do governo federal: se foram desviados, haverá sim investigação envolvendo estados e municípios. Nosso partido protocolou requerimento para deixar isso claro, vamos sim procurar investigar o desvio de recursos por estados e municípios também”, afirma.

Ele acredita que não existe momento certo ou errado para se abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). “Todo momento é bom para combater a corrupção. Há fato determinado indicando a existência de corrupção, de omissão. Há vidas perdidas em razão dessa irresponsabilidade. A corrupção com recursos da saúde é um crime hediondo, mais do que roubo é um assassinato. Há pessoas morrendo já que os recursos foram desviados”.

Dias evita dizer quando e se a CPI será aberta. “Não me arrisco a apostar que ela vá começar, porque o governo vai agir para retirar assinaturas. Depois, quando começa, você não sabe quando termina”.

CNN Brasil

Senador apresenta PEC para barrar decisões monocráticas do STF

Um dia após o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinar que o Senado instale a CPI da Covid para investigar supostas irregularidades cometidas pelo governo na pandemia, o senador Oriovisto Guimarães (Podemos-PR) colheu as assinaturas necessárias e protocolou, na tarde de hoje, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que, se aprovada, impedirá o STF de interferir em outros Poderes por meio de decisões monocráticas.

Entre as 30 assinaturas de apoiamento coletadas por Oriovisto, está a de Eduardo Gomes (MDB-TO), designado pelo presidente Jair Bolsonaro para ser o líder do governo no Congresso desde outubro do ano passado.

— O objetivo é evitar a interferência individual dos ministros do STF nas competências de outros Poderes. Um único ministro não pode contrariar a decisão de todo o Congresso Nacional e do presidente da República. Por isso a importância de uma decisão colegiada para esses casos — argumentou Oriovisto Guimarães.

O senador já tinha a intenção de requerer a votação da PEC desde o ano passado, mas apenas ontem, após o episódio envolvendo a CPI da Covid, conseguiu todas as 30 assinaturas necessárias para protocolar a Proposta de Emenda à Constituição.

Bolsonaro diz que ministro do STF fez ‘militância política’ ao mandar abrir comissão

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira (9) o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), por ter determinado a instalação no Senado de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Pela manhã, por meio de uma rede social, o presidente afirmou, em relação a Barroso, que “falta-lhe coragem moral e sobra-lhe imprópria militância política”.

Barroso respondeu no início da tarde. “Na minha decisão, limitei-me a aplicar o que está previsto na Constituição, na linha de pacífica jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, e após consultar todos os Ministros. Cumpro a Constituição e desempenho o meu papel com seriedade, educação e serenidade. Não penso em mudar”, afirmou.

Em nota, o Supremo afirmou que “os ministros que compõem a Corte tomam decisões conforme a Constituição e as leis.” Diz ainda que, “dentro do estado democrático de direito, questionamentos a elas (decisões) devem ser feitos nas vias recursais próprias, contribuindo para que o espírito republicano prevaleça em nosso país.”

Na postagem, Bolsonaro diz que a decisão monocrática, ou seja, de apenas um dos ministros do Supremo e não referendada pelo plenário da Corte, se destinará a apurar apenas o governo federal.

Segundo o presidente, não haverá espaço na comissão para investigar “nenhum governador” por eventuais desvios de recursos federais destinados ao combate à Covid-19.

Ele afirmou ainda que Barroso se “omite” ao não determinar que o Senado também abra processos de impeachment de ministros do STF.

STF afirma seguir a Constituição ao determinar CPI da Pandemia no Senado

Em nota institucional, e sem citar o nome do presidente Jair Bolsonaro ou do ministro Luís Roberto Barroso, o Supremo Tribunal Federal (STF) defendeu a decisão que determinou a instalação da CPI da Pandemia no Senado. O ministro Marco Aurélio Mello também viu como acertada a decisão do colega Barroso de mandar instalar a comissão parlamentar de inquérito, uma vez que ela teve o número mínimo de assinaturas no Senado para poder ser criada. A respeito das críticas do presidente Jair Bolsonaro a Barroso em razão dessa decisão, Marco Aurélio disse que é hora de deixar a retórica de lado e de arregaçar as mangas.

Barroso consultou os colegas, inclusive o presidente do STF, Luiz Fux, antes de dar a liminar, tendo recebido apoio da maioria. O ministro Kassio Nunes Marques não apoiou. Também falou com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, antes da divulgação da decisão, para dar a oportunidade de instalar a CPI antes. Fux também conversou com Pacheco e preferia que o Senado resolvesse o assunto por lá mesmo.

— Na minha decisão, limitei-me a aplicar o que está previsto na Constituição, na linha de pacífica jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, e após consultar todos os Ministros. Cumpro a Constituição e desempenho o meu papel com seriedade, educação e serenidade. Não penso em mudar — disse Barroso.

“O Supremo Tribunal Federal reitera que os ministros que compõem a Corte tomam decisões conforme a Constituição e as leis e que, dentro do estado democrático de direito, questionamentos a elas devem ser feitos nas vias recursais próprias, contribuindo para que o espírito republicano prevaleça em nosso país”, diz trecho da nota do STF.

— Comissão parlamentar de inquérito é instrumental ao alcance da minoria, e não apenas da maioria. E aí evidentemente se tem um terço de assinaturas. Não dá para sentar em cima — disse Marco Aurélio.

Para uma CPI ser instalada no Senado, é preciso ter um terço de assinaturas, ou seja, o apoio de 27 dos 81 senadores. A oposição conseguiu 31, mas o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), vinha resistindo em instalá-la. O objetivo da CPI é investigar se o governo Jair Bolsonaro cometeu omissões no combate à pandemia do novo coronavírus.

No Twitter, o presidente da República disse que “Barroso se omite ao não determinar ao Senado a instalação de processos de impeachment contra ministro do Supremo, mesmo a pedido de mais de 3 milhões de brasileiros”. E arrematou: “Falta-lhe coragem moral e sobra-lhe imprópria militância política”.