Bolsonaro diz que todos têm que comprar fuzil e fala sobre “golpe”

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta sexta-feira (27) que os brasileiros tenham o direito de comprar fuzis. Em conversa com apoiadores no cercadinho do Palácio da Alvorada, o presidente disse que “todo mundo tem que comprar fuzil”.

Bolsonaro chamou de “idiotas” os que dizem que essa não deveria ser uma prioridade.

Tem que todo mundo comprar fuzil, pô. Povo armado jamais será escravizado. Eu sei que custa caro.Daí tem um idiota que diz ‘ah, tem que comprar feijão’. Cara, se não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer comprar.”

Sobre Covid e economia, reforçou que não é possível parar o país. “O tratamento precoce deu certo para mim e para muita gente. Muita gente vai perder alguém para o coronavírus. Lamento. Acontece. A vida é essa. Agora, destruir um país por causa disso?” O chefe do Executivo atacou a vacina Coronavac. “Tô vendo essa vacina Coronovac.” Foi interrompido por uma mulher que gritou “é uma porqueira”. O presidente completou com “não posso nem dizer”. Produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, a vacina é eficaz no combate à Covid.

Em um claro ataque aos ministros do Supremo Tribunal Federal, Bolsonaro reclamou da decisão que quebrou o sigilo de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro. “O sigilo do advogado do Adélio [Bispo] não quebram. Me conformo por não estar um canalha no meu lugar. Se estivesse aqui, vocês estariam na fossa há muito tempo. Não pode um ou dois caras estragar a democracia do Brasil. O câncer já foi para o TSE. Temos que colocar um ponto final nisso.”

Bolsonaro negou um possível golpe. “Alguns querem, dizem, que eu quero dar golpe. Uns idiotas, eu já sou presidente.”

Fonte: Portal Grande Ponto

Pacheco decide rejeitar pedido de impeachment de Bolsonaro contra ministro do STF Alexandre de Moraes

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), irá anunciar em coletiva que decidiu rejeitar o pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes, protocolado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O Palácio do Planalto apresentou o pedido contra Moraes na sexta-feira (20).

No documento enviado ao Senado, Bolsonaro disse que “não se pode tolerar medidas e decisões excepcionais de um ministro do Supremo Tribunal Federal que, a pretexto de proteger o direito, vem ruindo com os pilares do Estado Democrático de Direito. Ele prometeu a essa Casa e ao povo brasileiro proteger as liberdades individuais, mas vem, na prática, censurando jornalistas e cometendo abusos contra o presidente da República e contra cidadãoes que vem tendo seus bens apreendidos e suas liberdades de expressão e de pensamento tolhidas”.

No sábado (14), Bolsonaro postou em suas redes sociais que entraria com pedidos de impeachment contra os ministros do Supremo Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. No entanto, interlocutores do presidente disseram à CNN que ele teria suspendido a apresentação do pedido contra Barroso.

A avaliação é a de que o embate com Barroso arrefeceu e o próprio ministro do STF também, na avaliação de assessores presidenciais, recuou.

CNN Brasil

Governadores querem reunião com Bolsonaro e busca de harmonia entre Poderes para estancar crise e fortalecer a Democracia

Nesta segunda-feira, 25 governadores participaram do fórum nacional desses gestores, no Palácio do Buriti, em Brasília. Os governadores anunciaram que vão tentar um encontro com Jair Bolsonaro e esperam ser recebidos pelo presidente. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou que houve consenso na reunião sobre a necessidade de diminuir a  tensão entre o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal e fortalecer a democracia.

“Espero que o presidente, pelo nível que o país chegou nesse momento, com essa disputa institucional, receba os governadores. O que procuramos é o bem comum e vamos levar isso ao presidente. Dizer a ele que não tem ninguém contra ou a favor dele, mas queremos um ambiente de normalidade e discutir os reais interesses do povo”, disse Ibaneis Rocha.

Na reunião, de forma presencial, compareceu, além de Ibaneis, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). Não foi entregue ao final da reunião qualquer documento ou carta com as posições dos governadores ou com críticas à atuação de Bolsonaro, que na semana passada encaminhou ao Senado pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes, do STF.

Os governadores anunciaram que irão encaminhar cartas e documentos a Bolsonaro e também aos presidentes Arthur Lira (Câmara), Rodrigo Pacheco (Senado) e Luiz Fux (Supremo Tribunal Federal).

Mesmo com a disparidade de posições político-partidárias entre nós, entendemos que temos condições de ajudar bastante. Vamos preparar essas cartas e também tratar de outros temas, como a reforma tributária, que, como está, irá gerar R$ 15 bilhões de prejuízo para estados e municípios. A proposta não tem nada de simplificação. É muito ruim. E por causa do Paulo Guedes – afirmou Ibaneis.

Os governadores trataram também do papel da Polícia Militar nesse clima de instabilidade política, a partir do que ocorreu em São Paulo nesta segunda, quando um comandante regional da PM foi afastado pelo governador João Doria (PSDB) por ter feito chamamentos para os protestos de 7 de Setembro e criticado políticos. IG – Foto: Reprodução.

STJ demonstra preocupação com pedido de impeachment contra Alexandre de Moraes

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) emitiu nota neste sábado (21) sobre o pedido de impeachment apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro contra o ministro do Supremo Tribuna Federal (STF), Alexandre de Moraes.

O órgão diz se preocupar com a ação e diz que a “convivência entre os Poderes exige aproximação e cooperação, atuando cada um nos limites de sua competência, obedecidos os preceitos estabelecidos em nossa Carta Magna”.

Confira na íntegra a nota do STJ

O Superior Tribunal de Justiça vem a público expressar sua preocupação com o pedido de impeachment apresentado contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, no pleno exercício de suas atribuições constitucionais.

Nos termos do art. 2o da nossa Constituição Federal, os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário são independentes e harmônicos entre si.

O Poder Judiciário tem como função preponderante a jurisdicional, diretamente vinculada ao fortalecimento da democracia e do Estado de Direito. A convivência entre os Poderes exige aproximação e cooperação, atuando cada um nos limites de sua competência, obedecidos os preceitos estabelecidos em nossa Carta Magna.

O Brasil constitui-se em um Estado de Direito, cujas decisões judiciais podem ser questionadas por meio de recursos próprios, observado o devido processo legal.

O Tribunal da Cidadania reafirma a importância do Poder Judiciário para a segurança jurídica e desenvolvimento do País, garantindo a democracia e a cidadania.

Brasília, 21 de agosto de 2021.

Bolsonaro decide vetar totalmente artigo que previa fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões

O presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar totalmente o artigo da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que definia regras para formação do Fundo Eleitoral. O artigo previa que o fundo seria financiado com base em 25% do orçamento da Justiça Eleitoral deste e do próximo ano.

Cálculos de analistas do Congresso indicavam que, por essa regra, o valor poderia ficar em R$ 5,7 bilhões.

O novo valor do fundo será definido na votação do Orçamento Geral da União. A equipe econômica defende um valor de R$ 2,1 bilhões, que seria a correção do último valor pela inflação.

Bolsonaro ainda não oficializou a decisão de vetar o artigo sobre o fundo eleitoral. O prazo final para sancionar ou vetar é esta sexta-feira (20).

O presidente já vinha dizendo publicamente que vetaria. O valor de R$ 5,7 bilhões, aprovado pelo Congresso, teve repercussão negativa, por ser muito acima do montante das últimas eleições.

Blog do Valdo Cruz

PF faz buscas contra Sérgio Reis e deputado Otoni de Paula

A pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou uma operação contra envolvidos na mobilização de caminhoneiros prevista para 7 de setembro.

Mandados de busca e apreensão são cumpridos em 29 endereços do Rio e de São Paulo.

Um dos alvos dos mandados é o cantor Sérgio Reis, que gravou vídeos conclamando o movimento e dizendo que uma das pautas era forçar o impeachment de ministros do Supremo. Reis foi deputado federal na legislatura passada, de 2015 a 2019.

Também há buscas autorizadas em relação ao deputado Otoni de Paula (PSC-RJ). A Polícia Federal entrou na Câmara para cumprir este mandado às 7h30.

Jota – BG

Polícia Civil do DF abre inquérito contra o cantor Sergio Reis por ‘ameaças’ a ministros do STF

A Polícia Civil do Distrito Federal abriu um inquérito para apurar ameaças a ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) feitas pelo cantor Sergio Reis e outras pessoas em áudios que circularam nas redes sociais no último fim de semana.

Nas gravações, Sergio Reis diz que os caminhoneiros vão parar o país em setembro se o Senado não retirar alguns dos ministros do STF. “Se em 30 dias não tirarem aqueles caras nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser. E a coisa tá séria”, declara o artista.

Em um vídeo, Sergio Reis, ao lado de supostos caminhoneiros, reforça as ameaças: “Vocês [senadores] têm 72 horas para aprovar o voto impresso e tirar todos os ministros do Supremo Tribunal Federal. Não é um pedido, é uma ordem. É assim que eu vou falar com o presidente do Senado. Isso é uma ordem.”

Os responsáveis pelas ameaças devem ser ouvidos pela polícia no próximos dias e podem responder pelos crimes previstos nos artigos 147, 163 e 262 do Código Penal, que são, respectivamente, ameaçar alguém, destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia e expor a perigo outro meio de transporte público, impedir-lhe ou dificultar-lhe o funcionamento

Por se tratar de apuração em estágio inicial, o delegado que preside o inquérito policial não se manifestará sobre o caso.

R7

Prefeito Pacelli viaja a Brasília onde terá audiência com o Ministro do Turismo para tratar da estátua de Monsenhor Expedito

O prefeito de São Paulo do Potengi, Pacelli Souto, viaja nesta segunda-feira (16) para Brasília, onde terá audiência com o ministro do Turismo, Gilson Machado, para tratar do projeto de construção da estátua de Monsenhor Expedito em nossa cidade. O prefeito vai acompanhado do secretário municipal de Turismo e Cultura, Guilherme Dantas.

Na audiência também acompanharão o gestor municipal, o deputado estadual Gustavo Carvalho e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Teremos outras informações.

Justiça condena PT e Haddad a indenizarem Paula Toller por uso de música em material para as eleições de 2018

A Justiça do Distrito Federal e dos Territórios condenou o ex-candidato à Presidência Fernando Haddad e o PT (Partido dos Trabalhadores) a indenizarem a cantora e compositora Paula Toller em mais de R$ 100 mil, pelo uso indevido da música “Pintura Íntima” em material para as eleições de 2018. A decisão foi em 1ª instância e cabe recurso.

A defesa da artista acusou o partido de usar, sem autorização, a canção e a imagem de Toller e do saxofonista do Kid Abelha, George Israel, em uma propaganda. A peça teria sido veiculada em canais de apoio ao candidato, inclusive no site do MST (Movimento Sem Terra).

O ex-prefeito de São Paulo e o PT argumentaram que não eram responsáveis pelo material, já que a mídia não foi identificada com o CNPJ da coligação, não seguia a identidade visual utilizada na campanha e não tinha a “qualidade técnica no nível empregado nos outros materiais oficiais”.

Os petistas disseram ainda que os sites apontados não eram deles, mas de terceiros que eles não conheciam e, portanto, não poderiam pedir a retirada.

O juiz Cleber de Andrade Pinto reconheceu a queixa de Toller e condenou Haddad e o partido a pagarem R$ 100 mil em indenização, mais 20 vezes o valor do licenciamento que deveria ser pago originalmente, e as custas do processo.

UOL – Foto: Kleyton Amorim/UOL e Reprodução

INSS: Senado aprova suspensão da prova de vida até dezembro

O Senado aprovou o projeto de lei que suspende até 31 de dezembro de 2021 a prova de vida dos beneficiários da Previdência Social. Por lei, a comprovação é necessária ser realizada anualmente para evitar fraudes no pagamento dos benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O texto segue para sanção presidencial.

Para justificar a suspensão, os parlamentares entenderam que, excepcionalmente, a prova de vida deve ser adiada para evitar a contaminação pela covid-19 em agências bancárias e da Previdência Social. Em julho, a medida também foi aprovada pela Câmara dos Deputados. Para entrar em vigor, a aprovação do projeto pelo Senado precisa ser sancionado pela Presidência da República. 

Durante a sessão, o relator do PL, senador Jorge Kajuru (Podemos-GO), citou que, segundo dados do INSS, mais de 12 milhões de beneficiários não realizaram neste ano a prova de vida, podendo ter o benefício suspenso diante do descumprimento do comparecimento. De acordo com o parlamentar, dos 36 milhões de beneficiários, cerca de 23 milhões já fizeram a comprovação. – BG

Confira como votou a bancada potiguar na PEC do Voto Impresso

Mesmo com a maioria sendo a favor, o Plenário da Câmara doa Deputados decidiu arquivar a PEC que garantia o voto impresso e auditável com ajuda de cinco deputados eleitos pelo Rio Grande do Norte.

Foram 229 a favor do texto, 218 contra e uma abstenção. Eram necessários ao menos 308 votos dos 513 deputados (60%) para que a proposta de impressão do voto dado pelo eleitor na urna eletrônica fosse adiante. Ou seja, faltaram 79 votos para que a PEC fosse aprovada. Diante do resultado, ela foi arquivada.

Confira os votos da bancada potiguar…

SIM:
– Benes Leocádio
– Carla Dickson
– General Girão

NÃO:
– Beto Rosado
– João Maia
– Natália Bonavides
– Rafael Motta
– Walter Alves

BG

Semipresidencialismo vira tática de Lira contra impeachment

Disposto a esvaziar a pressão para autorizar o impeachment de Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), articula com aliados a mudança no sistema de governo por meio de uma proposta de emenda à Constituição (PEC). A um ano e três meses das eleições de 2022 e sob a justificativa de que o presidencialismo virou uma fonte inesgotável de crises, a ideia apoiada por Lira e nomes de peso do mundo político e jurídico prevê a adoção do regime semipresidencialista no Brasil.

O modelo introduz no cenário político a figura do primeiro-ministro e aumenta o poder do Congresso. Embora a proposta determine que o novo sistema tenha início apenas no primeiro dia do “mandato presidencial subsequente” à promulgação da emenda, sem fixar datas, o presidente da Câmara, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-presidentes, como Fernando Henrique Cardoso, Michel Temer e José Sarney, defendem o ano de 2026 como ponto de partida.

Lira apresentou a minuta na última terça-feira, em reunião do colégio de líderes, e obteve apoio da maioria para levá-la adiante, apesar das críticas da oposição, principalmente do PT, que chama a proposta de “golpe” e “parlamentarismo envergonhado”. A PEC é de autoria do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), ex-secretário da Casa Civil de São Paulo, e, para que comece a tramitar na Câmara, precisa de 171 assinaturas.

As informações são do Estadão Conteúdo.

Urgente: Com o intestino obstruído, Presidente Bolsonaro será transferido para São Paulo

Internado com dores abdominais na madrugada desta quarta-feira (14), no hospital das Forças Armadas, em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) será transferido para São Paulo para fazer exames. 

Mais cedo, o cirurgião Antônio Luiz Macedo, que operou Bolsonaro em 2018 após a facada, foi chamado para ir até a capital para examinar o estado de saúde do presidente que se queixa de um soluço que persiste há quase duas semanas. 

Em nota a Secom, (Secretaria Especial de Comunicação Social), disse que o médico constatou uma obstrução intestinal e resolveu que seria melhor transferir o presidente para São Paulo para fazer exames complementares. Os resultados devem definir a necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência. 

 Veja a nota na íntegra: 

Após exames realizados no HFA, em Brasília, o Dr. Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdômen do Presidente da República, decorrentes do atentado a faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência.
Secretaria Especial de Comunicação Social
IG

Presidente Bolsonaro deu entrada no Hospital das Forças Armadas com dores abdominais

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu entrada na manhã desta quarta-feira (14) no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília. Segundo fontes do Palácio do Planalto, Bolsonaro sentiu dores abdominais durante à noite e passa por exames.

Com ida de Bolsonaro ao HFA, a reunião entre os presidentes dos poderes Judiciário, Executivo e Legislativo que aconteceria nesta quarta-feira (14) foi cancelada. O encontro deve ser reagendado.

Bolsonaro vem sofrendo com crises de soluços na última semana. Segundo fontes, o presidente passa bem. Também é avaliado a possibilidade da realização de um cirurgia nos próximos meses para retirada de uma hérnia na região abdominal.

CNN Brasil

Presidente da CPI da Covid no Senado determina a prisão de Roberto Dias

O senador Omar Aziz, presidente da CPI da Covid no Senado determinou agora há pouco a prisão de Roberto Dias, ex´diretor de logística do Ministério da Saúde. Segundo o presidente da CPI, a prisão foi definida porque Dias que estava prestando depoimento mentiu aos senadores.

O ex-diretor de logística da Saúde acusado de ser o acusado de ser o responsável por um esquema de propina dentro do Ministério da Saúde para superar a compra da vacina Covaxin.

O Antagonista

Alvo de investigações, ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles pede demissão

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu demissão nesta tarde ao presidente Jair Bolsonaro. O ato de exoneração foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). O atual Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais da pasta, Joaquim Álvaro Pereira Leite, foi nomeado em seu lugar.

Alvo de duas investigações no Supremo Tribunal Federal (STF), Salles estava sob pressão e alegou motivos familiares para deixar o cargo, apesar do respaldo do Palácio do Planalto.

Na terça-feira, Salles foi elogiado publicamente por Bolsonaro durante um evento no Planalto. Bolsonaro parabenizou Salles, disse que às vezes a herança do ministérios é uma “penca de processos” e afirmou que lamenta o tratamento dado “por alguns poucos desse outro Poder”.

— Parabéns, Ricardo Salles. Não é fácil ocupar seu ministério. Por vezes, a herança fica apenas uma penca de processos. A gente lamenta como por vezes somos tratados por alguns poucos desse outro Poder, que é muito importante para todos nós.

Salles é alvo de duas investigações no STF. Na Operação Akuanduba, deflagrada em maio, ele foi alvo de mandados de busca e apreensão e teve seus sigilos bancários e fiscal quebrados. Esse processo é relatado pelo ministro Alexandre de Moraes.

No início de junho, a ministra Cármen Lúcia autorizou a abertura de um inquérito para apurar se o ministro obstruiu as investigações de um esquema de desmatamento ilegal na região, a Operação Handroanthus, considerada a maior já realizada.

O Globo

Prefeito de São Tomé e presidente da FEMURN, Babá Pereira, teve audiência com o Presidente Bolsonaro e com o Ministro Rogério Marinho

EM Brasília cumprindo agenda administrativa em favor dos municípios do RN, o Presidente da Federação dos Municípios do RN e Prefeito de São Tomé, Babá Pereira, esteve reunido na manhã desta terça-feira, 15, com o

Presidente Bolsonaro e o Ministro Potiguar, Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional. Saneamento Básico e Segurança Hídrica, foi a pauta do encontro.

“O Presidente se comprometeu a transformar em realidade esse sonho do povo potiguar que é a conclusão da Transposição do Rio São Francisco, garantindo água pra o nosso povo. É um projeto que vai revolucionar nossa realidade, tão dura nos últimos anos devido a seca. Além disso, também discutimos projetos importantes destinados ao saneamento básico das cidades. Agradeço em nome dos prefeitos potiguares pela sensibilidade do presidente Bolsonaro em ouvir nossas reivindicações”, disse Babá

Durante agenda em Brasília, presidente e vice do Cosems buscam viabilizar curso e levam demandas de gestores ao Ministério Saúde

A presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Norte (Cosems-RN), Maria Eliza Garcia, a primeira vice-presidente do Colegiado, a potengiense Dailva Bezerra e o secretário executivo da Instituição, Sueldo Queiroz, estiveram em Brasília/DF, na última quinta (10) e sexta-feira (11), onde cumpriram agenda no Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e Ministério da Saúde.

“Em nossa viagem lutamos pela viabilização do curso ‘Qualificando a gestão municipal: um novo olhar no território’, que foi apresentado à Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) do Ministério da Saúde”, destacou Maria Eliza, lembrando que o curso também contará com o apoio da Organização Panamericana de Saúde (OPAS).

Outras pautas levadas pela comitiva potiguar, à Brasília, foram sobre demandas encaminhadas por gestores nas seguintes áreas: Residências médicas, Programa Previne Brasil, Programa Saúde na hora, Programa Academia da Saúde, Emendas parlamentares, Programa Requalifica UBS; SISMOB, Centros de Zoonoses e Agentes de Combates às Endemias, dentre outras.

“De fato, nesses dois dias em Brasília tivemos um grande êxito no que tange as demandas do Cosems-RN, pois conseguimos sanar várias dúvidas dos gestores”, frisou a presidente, lembrando que essa é a verdadeira importância de se ter um Cosems forte e com o olhar voltado aos 167 gestores do Rio Grande do Norte, onde a diretoria consegue absorver e sanar as principais demandas dos municípios, e ainda trazer novas sugestões de temas e de formas de trabalho para fortalecer o SUS no Estado.

Fonte: Lucas Tavares

Senador Elói de Souza: Walter Alves recebe Maciel em Brasília e destina emenda de R$ 600 mil para o município

O prefeito de Senador Elói de Souza, Maciel Gomes, acompanhado do presidente da Câmara Municipal vereador Ozias Júnior, está na capital federal na busca de recursos para o município. Dentre várias visitas a gabinetes de deputados, senadores e ministros, o gestor municipal, acompanhado do deputado federal norteriograndense, Walter Alves, esteve numa audiência no INSS. Vale dizer também que o parlamentar destinou uma emenda de 600 mil reais para Elói de Souza.

Teremos outras informações.