Em carta a evangélicos, Lula celebra liberdade religiosa, critica a fome e se diz contra aborto

O candidato do PT à presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, lançou nesta quarta-feira (19), a “Carta Pública ao Povo Evangélico”. A mensagem é uma forma de se aproximar do público evangélico, segmento religioso que cresce no Brasil e tem se tornado espaço de disputa política.

Na carta, Lula celebrou a liberdade religiosa, as leis e decretos feitos em seu governo que beneficiaram essa população. Também refutou as informações falsas de que fecharia igrejas, fake news utilizada por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) para desqualificar o petista.

“Vivemos um período em que mentiras passaram a ser usadas intensamente com o objetivo de provocar medo nas pessoas de boa-fé, e afastá-las do apoio a uma Candidatura que justamente mais as defende”, afirmou.

“Todos sabem que nunca houve qualquer risco ao funcionamento das Igrejas enquanto fui Presidente. Pelo contrário! Com a prosperidade que ajudamos a construir, foi no nosso Governo que as Igrejas mais cresceram, principalmente as Evangélicas, sem qualquer impedimento e até tiveram condições de enviar missionários para outros países”, reafirmou o ex-presidente.

De acordo com o candidato, caso eleito, ele vai “estimular sempre mais as parcerias com as Igrejas”. Ele também elogiou os evangélicos pela “difusão do evangelho” na “assistência social, proteção da infância, da juventude, das mulheres, dos idosos e das pessoas com deficiência”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *