Por Santo Tito

Na terça feira tive a felicidade de, como penetra, assistir à concentração do bloco carnavalesco “Rolentrando”. Estavam no esquente para a última noite de carnaval. Por isso contrataram o grupo musical “Beto Show”, que teve a participação especial de Alexandre Moreira e seu parceiro musical, o Kenedy, por sinal um baita animador.

De um repertorio variado sobreveio uma animação generalizada, com músicas que há anos alimentam o verdadeiro carnaval, aquele em que as pessoas interagem cantando e dançando.

Mas porque, supreendentemente, Alexandre Moreira desafogou as suas mágoas dizendo-se impedido de participar dos próximos carnavais de São Paulo do Potengi? Vejam qual é lógica apresentada por ele: As apresentações de quem não segue os padrões de “swingueira” são vistas com “indiferença” pelos atuais foliões, algo que não pode ser admitido por quem foi contratado com a finalidade única de animar a festa.

Swingueira: Pagode baiano (também chamado pagodão, swingueira ou quebradeira) é um gênero musical brasileiro criado em Salvador, Bahia, oriundo da mistura de samba-reggae e pagode, tendo como principal diferença a inclusão de percussão, um ritmo mais acelerado e geralmente acompanhado de coreografias. Por ser um gênero de origem baiana, é erroneamente confundido com o axé music.

A swingueira (o chamado do corpo) é conhecida por suas danças animadas e enérgicas. Os movimentos incluem giros, rebolados saltos e coreografias específicas. A expressão corporal é fundamental. Os dançarinos se entregam ao ritmo da música, expressando alegria, sensualidade e liberdade. As letras frequentemente possuem duplo sentido e são populares nas áreas periféricas. No entanto, o gênero também é criticado por suas conotações sexuais e de sexualização dos corpos. Em resumo, a swingueira é uma celebração da música e da dança, onde o corpo se move com paixão e ritmo.

A mídia, ávida por IBOPE (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), sempre encontra uma motivação financeira para promover gêneros musicais, com curto tempo de vida, mas em alta entre os adolescentes notadamente das periferias, cujas criações são recriação dos ritmos já existentes a partir do Samba (Samba de Roda; Pagode; Samba de Partido Alto; Samba-enredo; Samba-canção; Samba-exaltação; Samba de Breque; Samba de Gafieira); MPB ( influências do samba e do jazz americano); Pagode baiano (também chamado pagodão, swingueira ou quebradeira – mistura de samba-reggae; e pagode), Ritmos de origem americana ( rock and roll, country, blues, jazz, rhythhm, hip hop, techno, pop e country); etc…..

Os conjuntos musicais são contratados de acordo com o público-alvo. Aqueles que destoam das características pré-definidas tendem a ser exorcizados. Isso sinaliza para atualização, remasterização das suas apresentações. A utilização dos conjuntos musicais da terra é tida como um reconhecimento aos nossos profissionais, que sempre fizeram um carnaval conforme frisado no início, e que sempre nos encantam com as canções de gêneros musicais variados.

Categorias