Eu pertenço ao Potengi

Por @silverioalvesfilho

Não raro, pequenos momentos da vida trazem grandes reflexões.

Dizem, por exemplo, que Newton descobriu a lei da gravidade depois que uma maçã caiu na sua cabeça.

Embora não tão importante quanto o de Newton, obviamente, ontem tive um momento desses.

Enquanto voltava de São Tomé, na estrada, vi de relance um pequeno cruzeiro em cima de uma rocha. Por trás, o céu nublado e um arco-íris. Quais as chances de ver uma combinação tão bonita, tão singela, numa estrada tão tristemente esburacada?

Só consegui parar cerca de 200m depois. Deixei o carro com o alerta e voltei. Tinha que registrar.

O arco-íris começava a sumir. Acelerei o passo. Mesmo sem câmera de qualidade, captei a imagem.

Enquanto voltava para o carro, a constatação: como é belo nosso Potengi, que, apesar das dificuldades, resiste, como aquela cruz, em cima da rocha.

Passos depois, outra constatação: eu, como tantos, pertenço ao Potengi, sempre pertenci, sempre gostei de pertencer. Na simplicidade, na resistência e na beleza do sertão.

Que um dia nosso Potengi, que resiste como aquela cruz na rocha, possa ser ainda mais belo e especial como o arco-íris que estava por trás.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *