Silvério Alves

Silvério Alves

Menino pede e ganha de presente de Natal voo para poder orar ‘mais perto’ de Deus pela saúde do pai

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Meu pedido neste ano vai ser diferente”. Esse é um dos trechos que abrem a cartinha que Gabriel Dutra, 11, escreveu para pedir que pudesse voar de avião e falar com Deus, para orar pela saúde do pai. Na última quinta-feira (9), o pedido do menino foi realizado por uma escola de aviação de Brusque, cidade onde mora com a família.

O pai do menino, Amarildo Debatin, teve um infarto enquanto fazia compras com a esposa em um supermercado no dia 12 de outubro. O acidente deixou sequelas: o coração agora funciona só com 22% da capacidade, o que o impede de trabalhar e faz com que precise ficar em constante repouso.

“Queria te fazer um pedido, porque sei que minha cartinha vai chegar até você: queria pedir para falar com o patrão da minha mãe e pedir um avião emprestado para poder ir ao céu e falar com Deus. Que o nosso presente de Natal neste ano seja que o papai do céu dê um coração novo para o papai”, diz em um dos trechos da carta.

A mãe, Amanda Dutra, tem trabalhado fazendo limpeza em uma fazenda aeronáutica da cidade, e ficou surpresa com o pedido, ainda mais por ser tão bem elaborado. Há cerca de 15 dias o marido teve um novo princípio de infarto, e quando ela chegou do hospital o filho falou da cartinha que havia escrito.

— Eu via que enquanto trabalhava ele ficava sentadinho com aquele papel na mão perto dos aviões, e ficava pedindo para mim ler — conta Amanda, que estava muito atribulada com o trabalho que é a única forma de renda da família no momento.

A carta foi parar nas redes sociais da Sociedade do Pelznickel, de Guabiruba, e começou a repercutir nas redes sociais. Depois disso não demorou muito para que a equipe da Pelicano Escola de Aviação, que fica dentro do local em que Amanda trabalha, realizasse o desejo do menino.

Amanda conta que essa foi a primeira vez que Gabriel voou de avião, e que ficou com medo no início, mas não desistiu de realizar o sonho.

“Minha mãe trabalha bastante para cuidar de nós e ajudar o pai a comprar os remédios. Eu logo vou crescer e trabalhar para ajudar a minha mãe“, escreveu o menino.

Amarildo está em uma fila de espera para poder colocar um marcapasso, aparelho que ajuda a controlar os batimentos cardíacos. Tem sido difícil para a famíliar custear os gastos mensais com medicamentos, e por isso está sendo feita uma rifa, que tem como prêmio um edredom. Cada bilhete custa R$ 5, e pode ser comprado através do telefone (47) 9 9759-7684. O sorteio será no dia 20 de dezembro.

Com informações de Metrópoles

Categorias