O Brasil enterrado na lama

Por Carlos Santos, Jornalista.   Foto: Moisés Silva/O Tempo/Estadão Conteúdo

Outra tragédia; mais do mesmo.

O nome que agora passeia pelo noticiário é de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG).

Outra vez em Minas Gerais, mais uma vez rompimento de barragem.

De novo, a empresa responsável é Vale, gigante da mineração.

Dessa feita, a tragédia humana pode ser bem maior do que a ambiental acontecida há cerca de três anos em Mariana.

Talvez tenhamos mais de 300 mortos.

Como antes, sinalizadores de falta de zelo com a vida, natureza.

Certeza da impunidade.

Ninguém foi punido até o momento em relação à tragédia de antes. Natureza e gente foram punidas.

Para que servem agências reguladoras, qual a utilidade de órgãos fiscalizadores, qual a utilidade da legislação pertinente?

Que país é esse?

Resumo

  • Uma barragem da mineradora Vale se rompeu ontem em Brumadinho (MG), e um mar de lama destruiu casas da região.
  • Rejeitos atingiram a área administrativa da companhia e parte da comunidade da Vila Ferteco.
  • Até o momento, há confirmação de 40 mortos. A primeira pessoa morta identificada é Marcele Porto Cangussu.
  • Há ainda 296 desaparecidos, segundo os bombeiros. Os trabalhos de resgates devem durar semanas.
  • Governo federal montou gabinete de crise; Bolsonaro sobrevoou a área na manhã deste sábado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.