Silvério Alves

Silvério Alves

VÍDEO/POESIA: O velório da flor que morreu de sede

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Na poesia dessa semana, abordamos uma problemática bastante conhecida do povo nordestino: A seca.

Confira o vídeo abaixo.

VERSOS DE JOÃO PARAIBANO

Vi o fantasma da seca
Ser transportado numa rede
Vi o açude secando
Com três rachões na parede
E as abelhas no velório
Da flor que morreu de sede.

MÚSICA
Zabumba Lanceada (Quinteto Armorial)

Categorias