De Johan Adonis sobre Woden Madruga

Por ocasião de um evento muito concorrido, estive em Lagoa de Velhos. Tratou se no referido evento, de um titulo de cidadão dado pela câmara municipal daquela cidade a um ilustre homem daquele município. Um homem que pintou sua aldeia, e forjou seu rastro nas terras lagoenses com o nome  de um poeta rabequeiro chamado Fabião.

Um homem com profundo sentimento de pertencimento ao seu lugar, ao seu chão, de se sentir daquela terra. O homenageado de forma muito justa, chama se Woden Coutinho Madruga, Jornalista renomado e respeitado em todo o estado com sua coluna WM da Tribuna do Norte e da rádio Cabugí.

Estiveram presentes gente amiga de Woden, gente que gosta de Woden. Na fala do homenageado ele mencionou valores intransponíveis do ser referente a sua terra, a sua aldeia , ao seu lugar, ao seu espaço citando dentre muitos, Guimaraes Rosa, Leon Trotsky, Gilberto Freire, Oswaldo Lamartine e outros.

Porque o lugar de Woden transcende as linhas divisórias de demarcações politicas e se expande aos limites geográficos  e territoriais, porque a aldeia de Woden é o Potengi.  Titulo importante e merecido a um homem que por onde passa ventila sabedoria, exala conhecimentos e deixa rastros de humanismo e humildade.

Woden há 60 anos leva o nome de Lagoa de Velhos e do Potengi  aos quatro ventos mostrando os seus valores, suas virtudes e suas acontecências através de suas escritas, de suas falas e suas relações.

Parabéns à Câmara de Vereadores e ao proponente Vereador Marcelo de Louro por tão justa homenagem a um agora Lagoense de tão boas relações.

Depois do evento fomos à residência de Paulo Mafra e de Malu onde nos serviram uma deliciosa caipira torrada regada a uma samanau e wisque, além de um belo e agradável papo com Silverio Alves, Amauri Azevedo, Dailva Bezerra, Alexandre Moreira e o velho Woden, onde falamos de Baobás, de cardeiro, do rio Potengi e da vida, senão num vale!

Johan Adonis, cidadão Potengiense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.