Da governadora Fátima aos deputados: “O Rio Grande do Norte (RN) saiu da inércia”

A Governadora Fátima Bezerra fez nesta quarta-feira, (02) a leitura da mensagem do Governo do Estado à Assembleia Legislativa na abertura da 4ª sessão da 62ª legislatura. Aos 24 deputados estaduais a governadora, ao lado do vice-governador Antenor Roberto, afirmou: “Este balanço que lhes apresento retrata um Rio Grande que tem Norte, que saiu da inércia. Um governo que não se deixou paralisar pelas dificuldades, honrou compromissos e inovou na forma de fazer gestão, sem abrir mão do perfil técnico e da visão social de nossa equipe que nos orgulha pelo relevante espírito público, competência técnica e honestidade. Um governo que trabalhou sempre de forma integrada, ouvindo a sociedade, em diálogo constante e intensa parceria democrática com os demais Poderes.  Que construiu políticas públicas com participação social através dos conselhos, comitês e conferências”.

Fátima Bezerra fez explanação sobre ações e investimentos nos vários setores sociais e da economia, e enfatizou: “Há muito ainda o que fazer, mas hoje a situação do Estado é bem melhor. Arrumamos a casa e construímos os alicerces para avançar no projeto que vem sendo implementado. Com três anos de governo, já conhecemos os caminhos das pedras, já conhecemos onde é que as coisas, muitas vezes, emperram. Não fomos eleitos para dar velhas justificativas. Para dizer que tudo é muito difícil, que há coisas que não mudam, e que tudo demanda uma lentidão secular”.

A governadora disse aos parlamentares, na sessão que aconteceu de forma mista (presencial e remota), que “o projeto que nossa gestão representa é um projeto de gente que tem pressa. De populações que nunca tinham entrado na agenda política do Estado. Que sofriam as consequências de governos que julgavam que aquilo que é para o pobre não precisa ter qualidade. Então a escola pública não precisa de reforma, a saúde pública não merece investimento, o leite pode ser contaminado, a comida do restaurante popular não precisa ser fiscalizada – porque o que servir está bom”.

E, acrescentou a chefe do Poder Executivo Estadual: “Em nosso governo não há cidadão de segunda categoria. O direito de estudar, de ter acesso a saúde, à cultura, ao lazer não pode estar restrito aos que podem por ele pagar. Ao longo desses três anos governei para todos, sem distinção de credo religioso, da origem social ou da condição econômica de cada um. Sou governadora de quem me apoiou e dos que combateram o nosso governo. Mas, mesmo sendo governadora de todos, seguirei cuidando primeiro daqueles que mais precisam”.

Sobre a particularidade do ano de 2022 ser ano de eleição para renovação de mandatos nas esferas estadual e federal dos poderes Executivo e Legislativo, a governadora pontuou: ” Um dos compromissos mais profundos que tenho comigo mesma é o de jamais esquecer de onde vim. Ele me permite saber para onde seguir. Nesta abertura de um novo ano legislativo, em que já se precipitam disputas de cunho político eleitoral, não peço a ninguém que abandone suas convicções. Que a oposição deixe de cumprir o papel que dela esperam os que a ela se filiam.  Se tem uma coisa pelo qual eu zelo e da qual eu não abro mão é a democracia. O povo será o juiz de nossas ações e caberá a ele avaliar o nosso trabalho. Tenho não só esperança, mas confiança de que a maioria do povo potiguar reconhece o trabalho árduo e diuturno que temos feito para colocar o Rio Grande do Norte nos trilhos e melhorar a vida de todos”.

Preocupada com a administração pública e com o respeito aos princípios constitucionais, conclamou: “Espero que concentremos as nossas energias e debates nos desafios que estão colocados para o nosso Estado e para o país. Que não coloquemos a disputa eleitoral à frente dos interesses, das necessidades e dos anseios do povo. Para os que torcem e trabalham pelo fracasso do nosso governo, que nos acusam de má fé, que manipulam fatos, que fazem insultos travestidos de críticas, que criam e difundem diuturnamente fake News, saibam que não irão nunca nos intimidar. Não estou governadora respondendo a interesses pessoais ou de grupos. Encarno em meu ofício a esperança, as lutas e os sonhos das mulheres e homens do povo”.

Fátima Bezerra externou sua confiança de que continuará contando com o apoio da Assembleia Legislativa para o enfrentamento à pandemia, com foco na imunização do povo potiguar, “só assim conseguiremos vencer a pandemia que tanta dor já causou. Quero mais uma vez reconhecer o papel das senhoras deputadas e dos senhores deputados: se o Rio Grande do Norte mudou, equilibrou suas contas, recuperou sua capacidade de investimento, atraiu empresas, gerou empregos e avançou em diversas políticas setoriais, essas conquistas não seriam possíveis sem a participação da Assembleia Legislativa. Em nome do povo agradeço a cada uma e a cada um de vocês. Se muito vale o já feito, mais vale o que será”, encerrou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.