IPCA: inflação oficial fecha 2021 em 10,06%, maior alta desde 2015

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – a inflação oficial do Brasil – fechou 2021 em 10,06%, segundo divulgou nesta terça-feira (11) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Essa é a maior taxa acumulada no ano desde 2015, quando foi de 10,67%”, destacou o IBGE.

Em dezembro, o IPCA desacelerou para 0,73%, após ter registrado taxa de 0,95% em novembro.

Mesmo tendo desacelerado em dezembro, a inflação do país no acumulado no ano ficou bem cima do teto da meta para 2021, que era de 5,25%. Quando isso acontece, o Banco Central tem de escrever uma carta pública explicando as razões. Pelo sistema vigente, o IPCA poderia ficar entre 2,5% e 5,25% para a meta ser oficialmente cumprida.
Foi a primeira vez desde 2015 que a inflação oficial estourou o limite do sistema de metas.
Os analistas do mercado financeiro estimavam uma inflação de 9,99% em 2021, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central.

Cesta básica cresce 15,42% em Natal no ano de 2021, diz Dieese

O preço da cesta básica está bem mais caro. Pelo menos é o que indica o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Em 2021, o valor da cesta básica aumentou 15,42% em Natal. A capital potiguar teve a segunda maior elevação ao longo do ano entre todas as cidades analisadas.

O valor da cesta em dezembro foi de R$ 529,54 em Natal. Variação mensal foi de 1,62% e variação no ano de 2021 foi de 15,42%.

Preço da gasolina no Rio Grande do Norte sofre redução de 2,6% em quatro semanas

O valor mediano da gasolina comum vendida nos postos do Rio Grande do Norte apresentou uma redução de 2,6% entre o dia 31 de outubro e o último sábado (27). Os dados foram levantados em um levantamento realizado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O preço registrado na primeira pesquisa foi de R$ 7,228 e aúltima R$ 7,038. No entanto, alguns postos de Natal anunciaram o valor abaixo dos R$ 7. Alguns
estabelecimentos venderam o litro a R$ 6,94, na Zona Sul da cidade. Natal tem o quarto maior preço médio entre as capitais, R$7,082, ficando atrás apenas de Goiânia, Rio deJaneiro e Porto Alegre. A cidade já chegou a ter o maior preço registrado no Brasil.

AUMENTOU: Cesta básica fica mais cara e chega a R$ 363,38 em Natal

O Núcleo de Pesquisa do Procon (Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Natal) investigou e constatou que o preço médio da cesta básica na cidade, no mês de outubro, foi de R$ 363,38, após um aumento de R$ 4,71 em comparação ao mês anterior. Foram verificados preços em 23 estabelecimentos comerciais diferentes, das quatro regiões da cidade, nas quatro semanas do mês. Atacarejos, supermercados de bairros e redes de hipermercados foram consultados, ficando os atacarejos como melhor opção de compra, segundo o Procon.

No mês de outubro de 2021, os preços médios da cesta básica em Natal foram de R$ 343,86 nos atacarejos (acréscimo de R$ 4,65 em relação ao mês de setembro), R$ 365,17 nos supermercados de bairro (aumento de R$ 9,61) e R$ 381,25 nas grandes redes de hipermercados (redução de R$ 0,14).

Com informações da Tribuna do Norte – Foto: Reprodução

Após 17 dias, Petrobras anuncia novo reajuste de combustíveis; alta vai até 9%

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (25) um ajuste de preços de gasolina A e diesel A para distribuidoras.

A mudança passa a valer a partir de terça-feira (26).

O preço médio de venda da gasolina A da Petrobras, para as distribuidoras, terá reajuste médio de R$ 0,21 por litro, passando de R$ 2,98 para R$ 3,19 por litro, que corresponde a uma alta de 7%.

Nas bombas, essa mudança deve impactar em uma alta R$ 0,15 por litro, segundo a estatal. O cálculo considera a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro e 73% de gasolina A para a composição da gasolina comercializada nos postos.

Para o diesel A, o preço médio de venda da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,06 para R$ 3,34 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,28 por litro.

Nas bombas, essa variação deve refletir numa alta de R$ 0,24 por litro, o equivalente a 9,15%

O cálculo leva em conta a mistura obrigatória de 12% de biodiesel e 88% de diesel A para a composição do diesel comercializado nos postos.

Os reajustes haviam sido adiantados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) neste domingo.

O comunicado desta segunda-feira vem 17 dias após o último reajuste anunciado pela companhia, em 8 de outubro, quando a gasolina foi reajustada em 7,19% e o gás de cozinha, em 7,22%.

Defasagem dos preços

Mesmo com o aumento desta segunda-feira, vale dizer que ainda existe uma defasagem dos preços no Brasil em relação ao mercado externo.

Até hoje de manhã, essa defasagem chegava a 21% no caso da gasolina e de 19% no caso do diesel, segundo o Centro Brasileiro de Infraestrutura.

Isso sinaliza que, além desses reajustes, o mercado ainda pode ter novas altas. Além disso, existe a perspectiva de que o Petróleo continue se valorizando, já que os maiores produtores da commoditie têm dado sinalizações de que não vão aumentar a oferta no mercado global.

CNN BrasiFoto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Petrobras diz que não há perspectiva para estabilização do preço dos combustíveis

O gerente-geral de Comercialização no Mercado Interno da Petrobras, Sandro Barreto, disse nesta quinta-feira (21) aos integrantes da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados que ainda não há perspectiva para a estabilização dos preços dos combustíveis. Ele explicou que existem pressões de aumento de consumo com o inverno no Hemisfério Norte e com a aceleração da produção global a partir da melhoria dos números da pandemia de Covid-19.

O técnico informou que os países produtores de petróleo vêm aumentando a produção de derivados, mas não há como saber se o ponto de equilíbrio entre oferta e demanda está próximo.

Por sua vez, o coordenador de Defesa da Concorrência da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Bruno Caselli, afirmou que a alta de 28,2% do etanol nos últimos seis meses está relacionada a opções das usinas sobre fabricar álcool ou açúcar, porém também reflete a alta mundial de todos os produtos ligados ao setor de energia. No mesmo período, a gasolina subiu 16,5%.

Após novo reajuste, gasolina já chega aos R$7 em Natal

A Petrobrás elevou em 7% o preço da gasolina no último sábado (9) e isso já fez o combustível chegar “bem próximo” dos R$ 7 em Natal.

Com o aumento, os postos estão cobrando entre R$ 6,90 e R$ 6,99 pelo litro da gasolina. O preço mais alto é encontrado, principalmente, na zona Sul de Natal, enquanto o mais baixo, em postos da zona Norte.

Petrobras anuncia reajuste nos preços da gasolina e do gás de cozinha

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (8) que vai reajustar o preço da gasolina e do gás de cozinha (GLP) para as suas distribuidoras a partir deste sábado (9). O aumento será de 7,2% em cada produto.

Segundo a companhia, o preço médio da gasolina passará de R$ 2,78 para R$ 2,98 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,20 por litro.

Para o GLP, o preço médio passará de R$ 3,60 para R$ 3,86 por kg, equivalente a R$ 50,15 por botijão de 13kg, refletindo reajuste médio de R$ 0,26 por kg.

Preço médio da gasolina no RN é terceiro mais alto do Nordeste

O Rio Grande do Norte está entre os estados com maior preço médio da gasolina comum no Nordeste, de acordo com o mais recente levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis (ANP). Somente Piauí e Alagoas têm preços mais altos. Entre as capitais, Natal também é a terceira com maior preço na região.

De acordo com o levantamento da ANP referente à semana entre os dias 22 e 28 de agosto, o preço do litro da gasolina já ultrapassa os R$ 7 em três regiões do País – Norte, Sudeste e Sul. Neste mês, a gasolina acumula alta de 2,2%, sendo 0,5% somente na última semana.

O preço mais caro da gasolina foi encontrado pela ANP em Bagé, no Rio Grande do Sul (R$ 7,219/litro), e o mais barato em alguns municípios de São Paulo, inclusive a capital (R$ 5,099/litro). O preço médio do País ficou em R$ 5,982 por litro na semana passada.

Gás de cozinha deve superar R$ 100 no RN após novo aumento

O gás de cozinha está mais caro a partir desta segunda-feira (14). A Petrobras anunciou na última sexta-feira (11) um aumento de 5,9% no preço do GLP nas distribuidoras, o que representa aumento médio de R$ 0,19 por kg. De acordo com o Sindicato dos Revendedores Autorizados de Gás GLP do RN (Sindigás/RN), a expectativa é de que o preço do botijão de 13kg supere os R$ 100,00 no Rio Grande do Norte.

Este não é o primeiro reajuste do gás de cozinha no ano. Em janeiro, a Petrobras elevou o preço em 6%. No mês seguinte, a alta foi de 5,1%. Em março, um novo reajuste médio de R$ 0,15 por quilo foi anunciado e, em abril, o aumento foi de 5%.

Vale dizer que a conta de luz subiu 5,73% e a conta de água e esgoto teve aumento de 1,61%, o grupo Habitação foi o que teve mais impacto no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em maio, sendo responsável pelo incremento de 0,28 percentual. No mês passado, a inflação oficial do Brasil avançou 0,83%, a maior taxa para o mês desde 1996.

Por outro lado, na sexta-feira, a Petrobras também anunciou redução de 2% da gasolina nas refinarias. A redução passou a valer no sábado (12). O preço médio do diesel, no entanto, não sofrerá alterações.

Grande Ponto – Foto: Marcelo Casal Jr./Agência Brasil