Para refletir: Rebeca não tomará a vacina

Por Inácio Augusto de Almeida

Quem é Rebeca?

Rebeca é uma menina pobre que sempre aparecia pedindo comida, chinelo e roupa usada. Tinha um olhar angelical no rosto marcado pela fome. Os cabelos finos fios de arame.

Na boca o riso dos inocentes.

Faz tempo que Rebeca não aparece e o meu egoísmo impediu de saber onde Rebeca mora. Eu até perguntei, mas ela dizia que era muito longe. E assim a minha curiosidade morria. Morria facilmente, pois na realidade eu queria era amortecer a minha consciência.

Um dia dei a Rebeca um caderno, um lápis e um livro cheio de figurinhas. Seus olhos de anjo encheram-se de brilho.

Observei que Rebeca olhava apenas as figurinhas.

Rebeca deixou de aparecer e fiquei imaginando que isto aconteceu porque a Assistência Social estava cuidando da família dela.

O que a gente não é capaz de fazer para tentar sufocar nossos sentimentos?

Vejo que estão anunciando vacina para jovens. Em breve chegará a vez de Rebeca se vacinar.

Penso em ir pegar a Rebeca, menina com olhar de Santa, para levá-la ao centro de vacina. Nesse momento lembrei-me o quanto fui egoísta nunca tendo ido até a casa de Rebeca.

Quantas crianças pobres, como ela, em Mossoró ( e em muitos outros lugares do Brasil) ficarão sem vacina por total falta de recursos para pagar o transporte para si e para o responsável que autorizará a aplicação da vacina?

Como Rebeca vai conseguir dinheiro para quatro passagens se não tem dinheiro para comida, calçado e roupa?

Rebeca não será vacinada. E todos rezarão por Rebeca. Somos cristãos.

Inácio Augusto de Almeida é jornalista e escritor – Blog de Carlos Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.