Qual o sentido da Quarta-Feira de Cinzas?

A quarta-feira de cinzas é uma celebração católica que marca o início da Quaresma. Serve para lembrar que as pessoas são mortais e precisam se arrepender.

Por causa do pecado, todos estamos destinados a morrer (Romanos 6:23). Nosso tempo na terra é curto e a vida passa em um instante. Por causa da morte, as coisas desse mundo são transitórias e não podemos pôr nossa confiança nelas, porque falham.

Muitas vezes perdemos o alvo eterno de vista, e concentramos mais nas coisas terrenas, que são passageiras. Por isso, é bom lembrar de nossa mortalidade. A perspetiva da morte nos ajuda a recordar que somente as coisas de Deus são eternas. Nossa vida somente faz sentido quando nos dedicamos a Deus. Podemos lembrar disso na quarta-feira de cinzas ou em qualquer outra altura da vida.

Nesta data, os católicos devem fazer jejum, ou no mínimo abster-se de comer carne. Esse é um dia de penitência e o início de um período de maior dedicação, até a Páscoa. 

A Igreja Católica realiza uma missa especial para iniciar o período da Quaresma. Nessa missa, os católicos recebem uma marca em forma de cruz na testa, feita com cinzas. As cinzas usadas vêm de ramos abençoados e queimados no domingo de ramos do ano anterior. A pessoa que coloca a marca na testa do fiel diz “arrependa-se e creia no evangelho” (Marcos 1:15) ou “lembre-se que você é pó e ao pó voltará” (Gênesis 3:19).

AS CINZAS

As cinzas nos remetem à nossa mortalidade e à necessidade de arrependimento. Elas estão presentes em diversos trechos bíblicos com esse sentido. Vejamos alguns: 

– Gn, 18,27: “E respondeu Abraão dizendo: Eis que agora me atrevi a falar ao Senhor, ainda que sou pó e cinza.”

– Dn, 9,3: “E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza.”

– Jó 42,6: “Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza.”.

– Mt 11,21: “Ai de ti, Corazim! ai de ti, Betsaida! porque, se em Tiro e em Sidom fossem feitos os prodígios que em vós se fizeram, há muito que se teriam arrependido, com cilício e com cinza”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *