Silvério Alves

Silvério Alves

Ricardo Barros nega ter indicado diretor do Ministério da Saúde acusado de cobrar propina por vacina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), negou na noite desta terça-feira (29) ter indicado ao Ministério da Saúde o diretor Roberto Dias, acusado de cobrar do representante de uma vendedora de vacina propina de US$ 1 por dose em troca de fechar contrato com a pasta.

Em entrevista exclusiva à Folha, Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como representante da empresa Davati Medical Supply, disse que Dias, diretor de Logística do Ministério da Saúde, cobrou a propina em um jantar em Brasília no dia 25 de fevereiro.

Roberto Dias foi indicado ao cargo por Barros ao cargo. Sua nomeação ocorreu em 8 de janeiro de 2019, na gestão do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM). A Folha tentou, sem sucesso, contato com Dias na noite desta terça. Ele não atendeu as ligações.

Folhapress

Categorias