Brasil registra apenas 130 óbitos por Covid nas últimas 24 hs; menor número do ano

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil neste domingo (17):

– O país registrou 130 óbitos nas últimas 24h, totalizando 603.282 mortes;

Foi o menor número de óbitos em 24h neste ano.

– Foram 5.738 novos casos de coronavírus registrados, no total 21.644.464.

Pela primeira vez desde 14 de maio de 2020, a média de novos casos de Covid-19 no Brasil fica abaixo de 10 mil.

O Ministério da Saúde calcula que 20,7 milhões de pessoas já se recuperaram da Covid-19.

A média movel de casos (9.806) está em queda de -36,27% em relação a 7 dias atrás e média móvel de óbitos(324) está em queda de -26,03% em relação a 7 dias atrás.

ABC vence o Caxias e sobe para Série C em 2022; América continua na Série D

Ao vencer o Caxias por 3×0 na tarde deste domingo (17) no Frasqueirão, em Natal/RN, o ABC Futebol Clube volta a Série C do Campeonato Brasileiro no próximo ano.

Já o América, que perdeu nos pênaltis na tarde do último sábado (16) para o Campinense, em Campina Grande/PB, infelizmente continuará na Série D, em 2022.

A grande nação alvinegra, especialmente a potengiense, os parabéns do blog.

Foto acima: Andrei Torres

Grupo de potengienses vão ao jogo decisivo que pode levar o ABC à terceira divisão

Hoje, 17, um grupo de potengienses foi a Natal acompanhar o jogo decisivo que poderá levar o ABC à terceira divisão do futebol brasileiro.

Igreja Católica em Elói de Souza reduz em 50% os fiéis nas Missas

Segundo informações trazidas por fiéis católicos de Elói de Souza, as missas na localidade, a partir deste domingo 17, passam a ser celebradas com 50% do público, sendo duas celebrações, uma às 10h30m e outra às 17h30m.

As medidas restritivas se devem ao aumento de casos de Covid na localidade.

A Igreja de Nossa Senhora de Lourdes e São José, em Elói de Souza, é vinculada à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Serra Caiada, que tem como Administrador Paroquial o Pe. Júlio César.

Para refletir: Nossos pais não mentiram

Por Inácio Augusto de Almeida

Quando a noite chegava, eu, nos meus quatro anos, me enchia de medo dos monstros que se aproveitavam da escuridão para pegar as criancinhas. E, buscando proteção, aprendi a rezar para Papai do Céu.

Rezando me sentia livre de qualquer perigo.

Adormecia, e sonhava, quase sempre cercado de muitos brinquedos. Tudo se resumia a ter medo e a rezar.

Já na juventude, 13 anos ou pouco mais, deixei de sonhar com brinquedos e a ter medo dos monstros. Tinha lido os Doze Trabalhos de Hércules e me convenci que os monstros eram de jogar confete e de fritar bolinhas. Hércules a todos tinha vencido.

Sem o medo a reza foi esquecida e nos sonhos não mais brinquedos, mas as mulheres que apareciam nas fotos e desenhos nas revistas que, no escondidinho, olhava no colégio.

Dos monstros não mais lembrava.

Acreditando de tudo saber, tinha concluído que os monstros não passavam de invencionice de meus pais para me fazer rezar.

A fase da adolescência passou. Passou como tudo passa numa vida que é uma sucessão de ilusões. Trabalhar era preciso.

O sonho de casar com a namoradinha crescia e sabia que, para casar, era preciso ter casa. Desconhecia o golpe do genrinho bonzinho e sem sorte…

No trabalho não voltei a rezar. E os monstro da infância se perderam no tempo.

Só na maturidade comecei a perceber o erro cometido de ter deixado de rezar para afastar os monstros que me cercavam na subida do pau de sebo. Sem vocação para fera, de forma despercebida, virei cristão em tarde de Coliseu lotado.

Quanta inocência, quantos erros cometidos por conta de uma ingenuidade exagerada. Hoje identifico os monstros, não pela aparência, mas pelos atos. O ladrão que furta a merenda escolar e sonega o uniforme escolar das criancinhas.

O bandido que desvia o dinheiro da saúde e nega vacina aos acamados e mais pobres. O lunfa que embolsa o dinheiro do saneamento.

Monstros que existem e nem mesmo Hércules consegue vencê-los.

Monstros que tomam parte do salários dos servidores e fazem licitações absurdas. Monstros que geram miséria e atraso por causa de uma ambição desmedida e da certeza de uma impunidade assegurada por leis frouxas.

Não rezem pedindo proteção contra estes monstros. LUTEM!

Os monstros existem. As estórias contadas eram alertas para os perigos desta vida. Nossos pais nunca mentiram. Os monstros existem.

Inácio Augusto de Almeida é jornalista e escritor. Transcrito do Blog Carlos Santos.

.

VÍDEO: Show de Ivaldo Dias foi momento de louvor histórico em São Paulo do Potengi

O cantor católico Ivaldo Dias realizou um show louvor ontem, 16, em São Paulo do Potengi.

Foi um momento de muito louvor e oração.

Durante o evento, foi obrigatória a utilização de Máscara.

Confira o vídeo abaixo:

Mulher transexual é eleita Miss Cuiabá 2021 e Web protesta

Isabelle Castro, uma transssexual de 27 anos, venceu a edição de 2021 do Miss Cuiabá CNB, tornando-se a primeira trans a ganhar o título na capital mato-grossense.

No evento, que ocorreu na noite de quinta-feira (14), Isabelle era a única concorrente trans. No entanto, assegura que não sofreu qualquer tipo de preconceito das outras participantes, tampouco da organização do concurso, sendo muito bem recebida na disputa pelo título. Já muitos internautas pensam de forma diferente e encheram a página do concurso com críticas. Usuários questionaram o fato de o concurso ser estritamente feminino e não direcionado a transexuais.

Alguns comentários mais ríspidos foram considerados transfóbicos e serão encaminhados à Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos. A organização do concurso pediu investigação e punição dos autores dos comentários.

Isabelle Castro, que começou seu processo de transição com 16 anos, afirma que sua função agora será “dar voz a outras mulheres trans e ajudar a combater o preconceito”.

– Agora, eu sou uma porta-voz de toda uma comunidade que não é minoria, mas que vive às margens da sociedade. Porque, de modo geral, a sociedade é preconceituosa, machista e patriarcal. Vou usar esse título para dar voz a essas pessoas, mostrar que podemos estar em todos os lugares por direito – declarou.

O potengiense professor Thales participa de um grande evento de Muay Thai a nível nacional

O filho de São Paulo do Potengi, professor Thales, conhecido em nossa comunidade pelos seus trabalhos em artes marciais está participando de um grande evento de Muay Thai.

Trata-se do OPEN Brasil, 31º Campeonato Sul Americano de Muay Thai, que está ocorrendo no Rio de Janeiro, de 15 a 17 de outubro do corrente ano.

Com informações da TV UP

ACREDITE SE QUISER: Brasil tem 162 cidades sem homicídios há pelo menos 10 anos

A violência é um problema endêmico no Brasil. São mais de 50 mil homicídios por ano, de acordo com o Atlas da Violência, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Ao número superlativo somam-se ocorrências assustadoras retratadas diariamente pela mídia. A impressão é que mortes violentas acontecem em todo o país, sem exceção.

Mas não é bem assim. Há 162 cidades que não registraram assassinato nos últimos 10 anos. São municípios pequenos espalhados por 11 estados – o maior tem pouco menos de 10 mil habitantes –, que acabam formando um arquipélago de paz em meio a um oceano turbulento. Juntas, essas ilhas de tranquilidade somam 480 mil pessoas. O número é ínfimo perto dos 212,6 milhões habitantes estimados no país, mas permite imaginar que a violência mais brutal não é, necessariamente, um fato absolutamente impossível de ser evitado – ou, ao menos, amenizado.

Há um grupo ainda mais seleto, dos municípios que não computam homicídio desde 2001. São 58 em oito estados sem mortes violentas há 20 anos. Nesse caso, o maior deles tem população de 5,6 mil pessoas. Ao todo, são 154 mil homens e mulheres vivendo nesses locais.

Para chegar ao número, o (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles, levantou, com base no Datasus, por cidade brasileira, todos os homicídios que ocorreram desde 2001. Isso foi feito segundo a metodologia do Atlas da Violência, que utiliza os registros de saúde, e não os policiais, que são mais subnotificados. É importante ressaltar também que os índices de 2020 ainda são considerados preliminares pelo Ministério da Saúde.

O mapa a seguir mostra onde estão as cidades sem homicídios há 10 anos e as sem assassinatos há duas décadas. Em amarelo, as que não tiveram esse tipo de crime desde 2011. Em azul-claro, as que não registraram casos assim desde 2001. A lista de municípios pode ser consultada no fim da reportagem.

Metrópoles